Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2018

Quem tem coragem de se recondicionar?

Desde que nascemos somos condicionados à alguma coisa, seja na cultura, na religião ou nos costumes mais básicos, somos ensinados a replicarmos o que é normal, o que é aceito, aquilo que nos legitimará como pertencentes de uma sociedade pseudo organizada, que por sua vez produz seres humanos ao seu gosto e imagem. Se você parar para pensar somos alimentados por sistemas e ações já existentes até nos mínimos detalhes.
Até aqui, tudo bem, nada de novo, nada que você já não sabia antes. Agora já parou pra refletir em como seria sua vida se você fosse capaz de se recondicionar? Sim! Das crenças limitantes, dos costumes antiquados, das manias destrutivas e das infâmias que fortes ensinado desde cedo!? Essa é uma opção, que nada tem a ver com religião, ou com poderes sobrenaturais, tem tudo a ver com o seu desejo por autonomia, autenticidade, vontade de imprimir sua própria marca no mundo.

Agora, é um desafio e tanto, se antes você tinha como base um sistema já pronto, agora tens uma folha em…

Você é o destino

Já parou pra pensar que no fim das contas o foco volta pra você? Que as decisões são frutos do seu subconsciente se concedendo o reinado do espaço e da energia? Sim! Tudo que você faz é parte do destino, mas esse destino não é futuro, é você. É como se pudesse se convidar a tomar um café um pouco mais lá na frente, naquele momento onde a cabeça está mais arejada e os pensamentos mais fluidos.
Você - o destino - se encarrega de descobrir cada caminho que possa ter como opção, escolhe silenciosamente, é fiel à quem você é e anseia tornar-se ser. Seus passos podem ser em círculos ou não, chegarão sempre ao seu próprio encontro e a pergunta será sempre a mesma: você é capaz de se permitir? Então você se questiona quantas vezes forem necessárias e acaba vendo que as decisões sempre foram reflexo de tudo aquilo que quer sair de você.

Você é o destino que se olha de fora e se encara, que incrédulo se abstém de opiniões sobre você mesmo, que se liberta e dar liberdade para o próprio pensamento …

Sobre a eternidade

Vivemos tão preocupados com a morte, mesmo sem vivermos intensamente, e sempre com a mania de guardarmos para amanhã o que não poderá ser mais útil. Nosso conceito de eternidade está deturpado desde aqui, quando não entendemos o quão valioso é o nosso tempo, os minutos procrastinados, os dias de preguiça, aqueles dias que não fazemos nada realmente impactante. Toda a ideia de tempo de sobra, de muito tempo - é contrária à de eternidade.
Eternidade é coisa de momento, muito rápida, passageira, é aquilo que acontece e deixa marcas profundas, que o tempo não pode apagar. É um evento que não precisa do tempo para sub existir, pelo contrário é atemporal, a concepção é coisa de momento, mas a consequência de eternidade é exatamente a longevidade. Lembrar de eternidade é não pensar no futuro, é entender que mesmo no presente somos condicionados ao que já passou, a imagem refletida do espelho.

Se eternidade aqui é sentido de rapidez, instantaneidade, no grande universo isso não muda muito. São …

Síndrome de Joices: será mesmo o sonho de todo oprimido ser opressor?

Quando você faz parte de uma parcela da sociedade onde as oportunidades são escassas e as perspectivas não são as melhores, é coerente que você deseje ascender. Trilhar caminhos que te permitam ocupar lugares nos quais você não herdou, no entanto, é necessário que essa busca, essa caminhada, não seja motivo para lá na frente, quando acontecer, quando você conseguir, usar o discurso da meritocracia, que você nasceu pra ser grande e os outros não são suficientemente bons tão quanto você para estarem na mesma posição. 
Daí você passa a se comportar como um opressor, como aqueles que você julgava porque não reconheciam os privilégios e muito menos te reconhecia como potencial. Sua revolta passa ser a aceitação do padrão e ódio à todos aqueles que foram como você um dia. Esse gatilho acontece porque a sociedade te condicionou a pensar assim. É claro que temos escolhas e ações que dependem da nossa essência e educação, mas também é uma verdade que não basta mudarmos de localização social, se…

Sobre as boas energias

Olhar embaixo, profundo, aquém e além da superfície é uma habilidade que atravessa qualquer entendimento. Você é capaz de sentir, perceber o sentimento por trás da ação e receber a energia que estar sendo compartilhada. Cada ato, cada sugestão, cada momento são carregados de um pouco de quê, o qual só sabe quem procura e só sente quem consegue ir além do que já existe.
Nesse mar barulhento e inquieto que é a rede, acabamos por valorizar aquilo que o olhos podem vê, o que o coração sente fica cada vez mais escondido e reprimido. Nos tornamos quem queremos, e trazemos para o nosso lado quem tememos ser, isso acontece porque existe o eu que você idealiza e o você que os outros conseguem vê. Essa enorme diferença te faz perder tantas oportunidades de transformar a alma e o corpo através da troca de energia pura e boa. Essas energias estão por aí, escondidinhas, perto, mas muito distante daquilo que estamos acostumados.

É exatamente como um insight, por diversas vezes já perdi a oportunidade…