Meu refúgio

Viajar sempre foi meu refúgio particular, desde a primeira vez, respirar o novo é a melhor maneira de sentir-se novo, satisfeito e completo. Nesses últimos anos consegui maturidade, responsabilidade e amor em demasia por pessoas e lugares que inevitavelmente me acometeram de forma positiva. Pude compartilhar e receber as mais diversas energias, o mais caloroso aconchego e a sensação mais gostosa do mundo: liberdade. ☺️

Fui me distanciando cada vez mais de quem eu era, da infância, da adolescência, da escola, da igreja, não porque fossem ruins, mas porque o meu eu necessitava de uma nova visão, um novo motivo pra viver, uma necessidade quase que incontrolável de mergulhar nas possibilidades que o mundo oferece, nos ensinamentos que somente a prática permite, aprofundar nas matérias que não existem em nenhuma universidade do mundo, a de ser quem quiser em qualquer lugar que for.


O que me deixa mais feliz de uma viagem são os encontros, os controladores de energia se encarregam de trazer pessoas com anseios e histórias parecidas com a minha, lembrando-me que não estou só, que o mesmo desejo vai sendo um com vários outros viajantes, uns que já se encontraram, outros que continuam a intensa jornada de ter em si mesmo a inesgotável fonte da satisfação, os quilômetros medem não só a saudade, mas também o quão distante temos ficado da mediocridade e quão perto estamos de saber quem somos.

                                                           Netherlands, março de 2019.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antes que eu vá...

Achados da alma

E essas voltas que o mundo dá?