Sem essa

Não tenho educação
Porque o estado não quis
Só se eu fosse burro
Para esse destino infeliz 

Aceitar, não dizer nada
Não sou eu, não é de mim
Vou pra rua, da calçada 
Quero o direto do sim 

O sim para humanas 
Para os pensamentos
Não sou cabeça de anta
Tenho meus adventos

Se o rei não tem estudo
E faculdade ele não gosta
Eu recuso esse jugo
Vamos deixar de prosa

Quero agora revolução 
Mudança de verdade
Sem essa de tesourão 
Quero mais dignidade

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antes que eu vá...

Achados da alma

E essas voltas que o mundo dá?