A reciprocidade


Tão chato é quando as perguntas não têm respostas, os amores não são correspondidos, a dedicação não é retribuída e é desmerecida a boa intenção. Você vai, é gentil, se oferta e o outro parece não entender sua língua, é uma verdadeira síntese de sanguessuga, dar-me , dar-me e nada dou-te.

Desde o tudo bem - retórico, até o - eu te amo vazio, sem reciprocidade não dá, é preciso ser mais, responder mais, conhecer mais, querer ser conhecido sem ao menos tentar entender é uma péssima escolha. Quando chega sua vez, quando é hora de desvendar os mistérios, você percebe que nem mesmo viveu o encantamento do início e que já não é possível retroceder.

A resposta sempre vai ser tão importante quanto a pergunta, desde que haja o diálogo, a monotonia não foi e nem será um modelo a se seguir, o mais importante é que se o outro precisa ser ouvido, você o faz, se precisa ouvir você não titubeia, reciprocidade. Mais uma vez, lê a mente não é tão fácil, nem mesmo sei como se faz, mas ser recíproco é uma mágica que qualquer aprendiz é capaz de fazer.

Comentários

  1. Dificil nos dias atuais onde cada um se preocupa apenas com o seu mundinho.
    Mas foi muito bom pra refletir.
    Saudades do meu amigo escritor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Achados da alma

E essas voltas que o mundo dá?

Sonhar agora, realizar amanhã talvez