Somos instantes



E se somos instantes quando devemos acabar? Qual o melhor lugar para estar? O sentimento mais proveitoso de sentir? A ideia mais genial de se ter? O amor mais intenso? A amizade mais vibrante? A casa mais confortável? O livro mais profundo? A palavra mais oportuna? A pergunta mais assertiva?

As respostas são super relativas, os instantes oscilam numa rapidez, que de tristeza para melancolia é quase nada, de felicidade para satisfação é um rio inteiro, de paixão para amor é medido pelo humor. Da sensação de ser e estar até o ápice de poder aproveitar e então ser feliz é um hiato que jamais tem fim.

Esses instantes são muito mais que minutos e segundos, são dias de nossas vidas, são épocas, são lembranças, é um passado que remete ao futuro e sobrevive no presente. Somos um instante eterno, que acaba quando começamos a prestar atenção e nos faz parecer que a vida é mais longa do que parece.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antes que eu vá...

Achados da alma

E essas voltas que o mundo dá?